SOUNDBARS: turbine o som do seu TV

Por Alex dos SantosElas são fáceis de instalar, de operar, funcionais e, principalmente, cabem em qualquer lugar. Estamos falando das caixas soundbar, um dos produtos de maior sucesso nos últimos anos.

Antes, uma ressalva: quem parte para esse tipo de solução em busca do desempenho, envolvimento e impacto de um home theater, composto por seis ou oito caixas, provavelmente irá se decepcionar. Embora ofereçam recursos e conexões avançadas, as soundbars e o conceito que as envolve visam melhorar o som do TV, através de melhor potência, inteligibilidade e simulação surround.

Essas caixas são recomendadas para espaços de até 15m2: sala de pequenos apartamentos, living, quarto, varanda com TV… Outra aplicação comum atualmente para as soundbars é em salas de home theater. Explica-se: mesmo que no ambiente já exista um sistema multicanal, a presença de uma soundbar não carrega esteticamente a sala e pode tornar mais simples a vida de pessoas que não dominam tecnologia.

Afinal, não são todos quem têm o “prazer” de ligar um receiver via aplicativo, escolher a entrada de fonte desejada e o programa surround mais apropriado, DSP ou estéreo (2, 3, 5, 7, 9 ou 11CH). Uma soundbar pode ser útil, por exemplo, para quem assiste programas de televisão, geralmente transmitidos em estéreo.

TIPOS DE CAIXAS

Há duas categorias de soundbar: as tradicionais, com caixa principal no estilo régua, e as do tipo base, que permite a instalação de um TV em cima. A primeira pode ser instalada na parede e tem mais chances de apresentar melhor desempenho exatamente pela presença de um subwoofer ativo. Esse item não costuma acompanhar a soundbars de formato base, apesar de muitos fabricantes informarem que sim.

Uma caixa soundbar funciona com pelo menos dois canais de áudio; se houver subwoofer, 2.1. Não  confundir com o número de alto-falantes da caixa. No Brasil, há modelos com até 24 microfalantes, de 2 a 3,5 polegadas, alguns deles localizados nas laterais e na traseira, sintonizados com amplificador e processador DSP.
Uma simulação surround convincente só é possível com processador de 5.1 canais, incluindo falantes frontais (esquerdo/direito), central, surround (esquerdo/direito) e subwoofer ativo. Para dar a impressão de que os efeitos estão vindo da parte de trás da sala, e não sendo reproduzidos pela caixa que está à frente, o ambiente deve ser pequeno, com paredes simétricas e poucos estofados, tapetes e cortinas.

A ideia é favorecer a dispersão das ondas com diferenças de amplitude e tempo. Essas técnicas, envolvendo inversão de fase e atrasos (em milésimos de segundo), é que “enganam” nosso cérebro e criam sensações de divisão de canais e envolvimento sonoro.

As soundbars possuem decoder Dolby Digital (boa parte já está vindo com DTS), Dolby Pro Logic II (Movie, Music e Game) e algum modo simulador, de estéreo para surround, desenvolvido pelo próprio fabricante.

POTÊNCIA

Talvez a característica mais polêmica das caixas compactas, a potência costuma ser inflada por praticamente todos os fabricantes. No caso das soundbars, dificilmente são divulgados os parâmetros que determinam seu desempenho: a taxa de distorção harmônica dentro da faixa de frequência e a forma de medição em watts RMS (alguns sequer informam a potência).

A maioria das soundbars trabalha com amplificação interna Classe D, mais eficiente por liberar maior potência e consumir menos energia. Modelos de 100W RMS podem surpreender em pressão sonora, especialmente em salas pequenas, conforme ouvimos em nossos testes. A dica é dar preferência para fabricantes que divulgam características técnicas detalhadas.

RECURSOS E CONEXÕES

Mais um grande atrativo das soundbars está nas variadas formas de conexão. Muitas possuem três ou até mais entradas HDMI, suficientes para conectar receptor de TV paga, Blu-ray e videogame, inclusive compatíveis com sinais 3D e 4K. Já a saída HDMI geralmente tem o retorno de áudio (ARC): ao mesmo tempo em que conduz imagens para a tela, retorna com o som 5.1 vindo da TV digital e dos serviços Smart, como Netflix e YouTube, dispensando o uso de cabo digital.
Ativando o protocolo CEC (Consumer Electronics Control) no menu dos dois aparelhos (soundbar e TV), dá para ligar/desligar e comandar o volume pelo controle do TV. Para receber sinais de fontes diversas, quase todas soundbars têm entradas de áudio digital (óptica ou coaxial), estéreo analógica (RCA), P2 e USB, que aceita iPod/iPhone e pen-drive, além de saída pré-amplificada (LFE) para sub ativo de qualquer marca.
Atualmente, a conexão Bluetooth é a forma mais rápida e descomplicada de desfrutar músicas e podcasts acessados no celular ou notebook, inclusive para compartilhar com outras pessoas. Alguns fabricantes oferecem tecnologias capazes de aprimorar a qualidade da transmissão Bluetooth, como é o caso da apt-X, que que tem proporciona quase a mesma definição das músicas em CD.
Outra opção é a tecnologia de comunicação NFC (Near Field Communication): basta aproximar dois dispositivos para iniciar a reprodução. E já começam a chegar ao mercado soundbars com conexão de rede LAN e Wi-Fi, para comando por aplicativo em tablet ou smartphone.

COMO ESCOLHER

  1. Embora visualmente semelhantes, as soundbars não são todas iguais. Ouça atentamente com trilhas de filmes, shows musicais, telejornais e documentários para conhecer aspectos como inteligibilidade, clareza e profundidade de graves;
  2. Não faça da alta potência o principal critério: verifique se o fabricante informa em watts RMS e desconfie de números elevados;
  3. Procure por soundbar com largura aproximada à do TV. Há modelos com dimensões de 40 a 55 polegadas;
  4. Certos modelos não incluem subwoofer, mas trazem saída pré-amplificada LFE, compatível com qualquer sub ativo;
  5. Caso não haja espaço na parte frontal da sala, um sub sem fio pode ser a melhor alternativa para instalar na lateral ou na parte traseira da sala, ao lado do sofá;
  6. Para obter melhor envolvimento sonoro, prefira soundbars de 5.1 canais (ou mais);
  7. Modos simuladores de surround fornecidos pelo fabricante nem sempre são convincentes. Verifique se a soundbar possui decoders Dolby Digital, Pro Logic II (Movie, Music e Game) e DTS para reprodução de discos Blu-ray e conteúdos on-line;
  8. Se a sala é pequena e o TV já está instalado na parede, adquira uma soundbar com furação e suporte para a fixação abaixo da tela;
  9. Não invista em uma soundbar como uma solução final de home theater, e sim como uma opção para melhorar o som do TV e complemento de um sistema multicanal.

ALGUNS MODELOS SOUNDBAR À VENDA NO BRASIL

(clique nos modelos para ver mais informações)

B&W PANORAMA 2

A segunda geração 5.1 da marca inglesa traz o tweeter Nautilus, com domo em alumínio acoplado a um tubo de carga na parte traseira. Um sensor de proximidade mantém seu display apagado durante o uso para não desviar a atenção do TV, mas volta a acender quando identifica a proximidade da mão do usuário, facilitando o controle.

Potência: 25Wx5 + 50Wx1 (woofer integrado)
Decoders: Dolby Digital, DPL II e DTS
Conexões: 3 entradas HDMI (com 1 saída ARC), 1 P3 combinada (digital óptica/analógica) e saída LFE para sub
Largura: 110cm

DEFINITIVE TECHNOLOGY SOLOCINEMA STUDIO

Traz sistema interno de 5.1 canais formado por nove falantes. Um subwoofer sem fio de 200W e driver down-firing de 8” complementa o conjunto. Funciona em Bluetooth com NFC e apt-X, que melhora a transmissão do sinal para manter a qualidade de áudio próxima à do CD.

Potência: 120W total + 200Wx1 (sub ativo sem fio)
Decoders: Dolby Digital, DTS, Definitive Spatial Array e SRS TruSurround
Conexões: 3 entradas HDMI (com 1 saída), Bluetooth (com apt-X), NFC, 1 digital óptica e 1 estéreo analógica
Largura: 109cm

FOCAL DIMENSION

Com design de teclas touch, gabinete em alumínio rígido, seis falantes e amplificação digital de 450W, é a mais potente do mercado. A resposta às baixas frequências é de 50Hz (-6dB), mas pode descer até 35Hz ao acoplar módulo para graves (Dimension Sub) na parte traseira, servindo assim como base para TVs de até 50”. Subwoofer sem fio do fabricante é vendido à parte.

Potência: 450W total
Decoders: Dolby Digital e DTS
Conexões: 1 entrada HDMI (com 1 saída), 1 digital óptica, 1 estéreo analógica e saída LFE para sub; Bluetooth (com apt-X) através de adaptador opcional
Largura: 115cm

JBL CINEMA SB350

A comunicação Bluetooth nesse conjunto 2.1 canais permite reproduzir músicas, via streaming, de até 10 dispositivos diferentes. Também sem fio, o subwoofer ativo de 6,5” pode ser instalado em qualquer lugar da sala. Permite manter o volume constante nos intervalos comerciais, e o controle da soundbar pode ser feito pelo remoto do TV .

Potência: 320W total, incluindo sub ativo sem fio
Decoders: Dolby Digital e simulador surround (HDSS)
Entradas: 1 entrada HDMI (com 1 saída ARC), Bluetooth, 1 digital óptica e 1 estéreo analógica
Largura: 100cm

LG SOUND PLATE

Para quem possui TV instalado no móvel, essa soundbar do tipo base apresenta só 3,5cm de espessura, mas sustenta o peso de aparelhos de até 55”. Um sistema de 4.1 canais reúne dois woofers embutidos na parte inferior da caixa. Além de Bluetooth, a conexão exclusiva Sound Sync Wireless recebe áudio sem fio dos TVs LG mais recentes.

Potência: 120W total
Decoders: Dolby Digital, DTS e 3D Surround Processor
Conexões: 1 entrada digital óptica
Largura: 70cm

ONKYO LS-B50

Um processamento de sinal digital, chamado AuraSphere, que visa um envolvimento de som 3D, é o destaque nessa soundbar. Formado por barra de 6.1 canais de áudio e sub sem fio, o conjunto inclui suporte para instalação na parede e repetidor IR para comandar o volume do TV mesmo a distância. A conexão Bluetooth permite streaming de músicas em portáteis sem a necessidade de adaptador.

Decoders: Dolby Digital e simulador surround 3D (AuraSphere)
Entradas: Bluetooth, 1 USB, 1 digital óptica, 1 digital coaxial e 1 estéreo analógica
Largura: 91cm

PARADIGM SOUNDTRACK SYSTEM

Diferente de outros conjuntos, esse de 2.1 canais traz não só a barra como também o subwoofer com gabinete fino, desenhado especialmente para instalação na parede. Com tecnologia sem fio e woofer de 8”, a caixa pode ser acomodada até embaixo do sofá. A principal conexão é Bluetooth, com tecnologia apt-X.

Potência: 25Wx2 + 100Wx1 (sub ativo sem fio)
Decoders: Dolby Digital e Paradigm Virtual Surround
Conexões: Bluetooth (com apt-X), 1 digital óptica e 1 estéreo analógica, AppleTV e AirportExpress
Largura: 92cm
Amplificador Classe D de 25Wx2

PHILIPS HTL3140B

Com apenas 5cm de espessura, essa soundbar de 2.1 canais funciona sem fio, com subwoofer ativo, usando Bluetooth com NFC. Por meio de aproximação, permite a reprodução imediata de músicas em aparelhos compatíveis.

Potência: 30Wx2 + 140Wx1 (sub ativo sem fio)
Decoders: Dolby Digital e Virtual Surround
Entradas: 1 saída HDMI ARC, Bluetooth, NFC, 1 USB, 1 digital óptica, 1 digital coaxial e 2 estéreo analógicas
Largura: 84cm

SAMSUNG HW-H7501

O primeiro modelo curvo lançado no mercado foi desenhado para ser usado com os TVs da marca. Com sub sem fio de 6,5”, a soundbar tem falantes para 8.1 canais e conectividade Bluetooth para reproduzir músicas de diversos dispositivos.

Potência: 20Wx8 + 160Wx1 (sub ativo sem fio)
Decoders: Dolby Digital e DTS
Entradas: 1 entrada HDMI (com 1 saída ARC), Bluetooth, 1 USB, 1 digital óptica e 1 estéreo analógica
Largura: 123cm

SONY HT-CT370

O design discreto de 5cm de altura é o destaque desse modelo de 2.1 canais, que inclui subwoofer sem fio. Para comunicação instantânea com dispositivos Bluetooth, o fabricante também adota o padrão NFC, que equipa inúmeros smartphones.

Potência: 175W total, incluindo sub ativo sem fio
Decoders: Dolby TrueHD, Dolby Digital Plus e DTS-HD
Entradas: 3 entradas HDMI (com saída 1 ARC), Bluetooth, NFC, 1 digital óptica e 1 estéreo analógica
Largura: 90cm

YAMAHA YSP-4300

São 22 falantes frontais e mais dois woofers laterais nessa sofisticada soundbar de 7.1 canais, com subwoofer sem fio para liberar 324W de potência. O sistema incorpora calibragem inteligente (IntelliBeam), sintonizador FM e quatro entradas HDMI, que aceitam sinais 4K e 3D. Um transmissor opcional possibilita a reprodução de músicas sem compressão armazenadas em iPad/iPhone, PC ou Mac, através da tecnologia wireless exclusiva da Yamaha.

Potência: 2Wx22 micro falantes + 75Wx2 woofers laterais + 130Wx1 (sub ativo sem fio)
Decoders: Dolby TrueHD, Dolby Digital Plus e DTS-HD
Entradas: 4 entradas HDMI (com 1 saída ARC), 1 USB, 1 digital óptica, 1 digital coaxial e 1 estéreo analógica
Largura: 110cm

Obs.: informações técnicas fornecidas pelos fabricantes (sujeitas a alterações)

htbest

%d blogueiros gostam disto: