Philips cria TV “Ambilux” e também aposta em OLED

Um TV que “flutua” na sala: assim o inglês Rod White, responsável pelo design da Philips, define a nova linha Ambilux, apresentada nesta segunda-feira em São Paulo. O modelo de 65” é um dos destaques da marca para este ano, ao lado de uma renovada série de TVs 4K em tamanhos a partir de 43”. A Philips – cujos produtos hoje são fabricados pela chinesa TPV – decidiu também entrar no segmento de TVs OLED, onde já estão LG e Sony.

Numa variação dos conhecidos Ambilight, que projetam luzes coloridas nas bordas do painel, os TVs Ambilux ampliam o efeito visual com luzes mais intensas que se movimentam em torno da tela. São nove dispositivos de led, que a empresa chama “projetores”, montados no painel traseiro do TV, que acompanham as tonalidades exibidas em cada cena. A ideia, segundo White, é produzir um apelo visual extra principalmente entre usuários jovens, mais abertos à inovação.
O TV Ambilux de 65” (foto) é compatível com imagens 4K HDR, tendência no segmento premium, e utiliza o sistema operacional Android, com diversos recursos da plataforma Google. Por enquanto, está sendo importado, chegando ao consumidor com preço sugerido de R$ 30.999.

Também é importado o primeiro TV OLED da Philips, de 55”, com painel bem mais fino e luzes Ambilight nas bordas. Este modelo 4K Android será comercializado apenas sob encomenda. A empresa acredita que o segmento OLED só deve ganhar corpo a partir do ano que vem.

A linha Philips 2017 inclui ainda três séries de TVs visando camadas diferentes de consumidores. A série 6100 inclui três modelos 4K (43”, 50” e 55”) com processador de quatro núcleos. A série 6800 também é 4K, em tamanhos de 49” e 55”, numa faixa intermediária. Para quem pretende se manter na categoria Full-HD, a opção da empresa é a série 5000, com 32” e 43”.

htbest