Caixas Definitive Technology BP9000: bem-vindo ao Dolby Atmos!

A série de caixas acústicas BP9000, da Definitive Technology, avaliada por nossa equipe, representa a quarta geração de torres bipolares desta tradicional marca americana e contempla caixas centrais e surrounds. Mas a novidade da linha é uma compacta com tweeter de 1” em alumínio e midrange de 4,5” voltados para o teto. Chamado de módulo vertical (Height Module), este par de satélites A90 deve ser acoplado sobre as torres. A ideia é direcionar para o teto parte das ondas sonoras, que refletem antes de chegar aos ouvintes. Estes terão uma sensação de tridimensionalidade com as trilhas Dolby Atmos e DTS:X.

Também recebemos um par de torres BP9060 (abaixo somente da top BP9080x), a central CS9040 e um par de surrounds SR9040. Seria mais um conjunto entre tantos outros que desembalamos não fosse os diferencias de construção e o cuidado do fabricante com o pacote de acessórios que acompanham a BP9060, como spikes para carpete, bases em alumínio e cabo de força para o amplificador interno de cada torre.

Essa torre vem com um jogo de falantes na frente, sendo dois midranges de 4,5” e um tweeter de alumínio 1” com alcance de 22kHz; um subwoofer de 10” acompanhado de dois radiadores passivos de igual diâmetro nas duas laterais; e mais um jogo de drivers na traseira (um tweeter de 1” e um midrange de 1”). A caixa é quase que totalmente revestida em tecido resistente, exceto o topo do gabinete onde há uma tampa de alumínio magnetizada para ocultar o conector que recebe a compacta A90.

Na traseira, dois pares de bornes: um aceita amplificação de 50W a 300W, enquanto outro leva alimentação para o módulo A90 quando acoplado à torre. Tudo pensado pela Definitive para facilitar a instalação e não deixar cabos aparentes. No local, uma entrada RCA para sinal LFE na conexão direta com um receiver, além de controle de volume do amplificador interno, que conduz 200W de saída ao woofer lateral de 10” para uma resposta de 28Hz.

O fabricante afirma que sua tecnologia Intelligent Bass Control possibilita ajustes de ganho somente de frequências abaixo de 100Hz, sem interferir na faixa de graves altos e médios baixos produzidos pelos midranges. Um interruptor dá ao usuário a opção de desligar o led frio sobre o bonito logo “D” próximo à base da caixa se estiver incomodando.

A central CS9040 – de 52cm de largura – traz um radiador passivo de 8” na parte superior do gabinete para auxiliar nos graves de até 50Hz; e conjunto de falantes é complementado por dois midranges de 4,5” e um tweeter (1”). Já na surround SR9040, o mesmo domo de alumínio está presente duas vezes, assim como dois midranges de 3,5”. Trata-se de uma bookshelf (24cm) bipolar com dois conjuntos idênticos de falantes, que reproduz em fase e amplia a ambiência nos canais traseiros.

INSTALAÇÃO

O ideal é que caixas bipolares sejam instaladas em uma sala acusticamente equilibrada, evitando que as ondas produzidas com grande volume atrás e pelos lados da caixa não prejudiquem a sensação de palco sonoro. No nosso caso, não tivemos problemas com as torres (na metade do volume) há mais de 1m das paredes de nossa sala de 20m2.

O distribuidor também nos enviou um receiver Denon AVR-X4300H com potência de 125Wx9 (clique aqui para ver o teste do modelo AVR-X3300W). Com sensibilidade de 90dB, a torre BP9060, por exemplo, aceita potencia mínima de 50W a 4 ohms para tocar os três midranges e dois tweeters, vez que o seu power interno dá conta do woofer de graves.

Após configurar o gerenciamento de graves no receiver para frontais full-range sem subwoofer, conectamos a BP9060 utilizando apenas os terminais de caixas. Se para músicas os graves soaram mais suaves e sem exageros, para filmes faltaram impacto. Tivemos que rever as configurações e conectar cabos de áudio mono entre as saídas LFE do AVR e as entradas correspondentes em cada caixa.

Ao término da calibragem automática Audyssey o sistema parecia outro, como se realmente tivéssemos dois subwoofers dedicados no sistema. A central CS9040 sobre o rack teve rendimento melhor do que em prateleira dentro do móvel, devido a maior liberdade concedida ao seu radiador passivo. Enquanto a surround SR9040 se mostrou flexível quanto à instalação diretamente na parede lateral ou traseira.

DESEMPENHO

Sempre houve controvérsia entre entusiastas de áudio a respeito de caixas tipo bipolar como frontais. Ao mesmo tempo em que a dispersão sonora é maximizada para o desejado hotspot em um maior número de assentos, se tem o problema de uma imagem estereofônica menos focalizada. De qualquer forma, é possível combinar as qualidades de uma boa caixa de radiação direta com a de uma bipolar de ampla dispersão com o controle rigoroso de volume e um imprescindível equilíbrio acústico da sala.

Na clássica instrumental Oleo, por George Benson, do álbum Back to Back Legends (FLAC), as BP9060 traduziram a mistura de guitarra, baixo, piano e bateria de forma organizada com a mesma dinâmica e definição de modelos high-end; e não uma confusão rítmica como já testemunhamos através de outras caixas menos refinadas. Mas o que chamou a atenção foi a capacidade das torres de ampliar largura e profundidade de palco.

Para verificar a performance dos graves, ouvimos Papa Was a Rolling Stone e outras do álbum SuperBass2 (DSD) e constatamos a velocidade do baixo sendo reproduzida pontualmente pelas BP9060. Com o palco, era como se McBride, Brown e Clayton estivessem tocando exatamente ao nosso lado. E nas baladas, como Sailing to Philadelphia e Love Over Gold, em The Best of Dire Straits & Mark Knopfler: Private Investigations (DSD128), as torres apresentaram clareza vocal e detalhamento de cordas bastante interessantes.

Já com o módulo A90 acoplado às torres era a hora de conhecer os efeitos Dolby Atmos. Como o teto plano de nossa sala possui altura convencional (2m5) foi possível sentir parte da trilha intensa de Mad Max: Estrada da Fúria “viajar” com bombas e motocicletas acima de nossas cabeças de maneira realmente convincente. A SR9040 mostrou grande habilidade de preencher espaços traseiros e envolver os ouvintes com grande ambientação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Durante toda a perseguição insana ao caminhão de Furiosa, o conjunto Definitive entregou grande energia, para aumentar a adrenalina do início a fim. Fato é que estávamos diante de dois subwoofers produzindo graves fortes e encorpados, embora não tão profundos o bastante como um sub dedicado com resposta próxima a 20Hz.

Em Jason Bourne (DTS:X), as caixas Atmos conseguiram transmitir toda a atmosfera do confronto civil nas ruas de Atenas e das inverossímeis sequências de ação, como a do furgão da SWAT catapultando carros pelas ruas de Las Vegas. Desta vez, porém, sem a mesma entrega de efeitos que tivemos com Mad Max, comprovando que a mixagem definida pelo diretor será sempre o fiel da balança.

Além da excelente inteligibilidade de diálogos, a central CS9040 contribuiu notoriamente para o impacto de bombas e tiros nos dois títulos. A pressão sonora produzida pelo sistema Definitive e Denon foi impressionante: sequer foi preciso ultrapassar a metade do volume do receiver nem a posição “nove horas” do controle de ganho do subwoofer nas BP9060.

Para a ficha técnica completa do conjunto série BP9000, clique aqui.

Garantia: 18 meses
Distribuidor: www.chiave.com.br
Preços: sob consulta

htbest

%d blogueiros gostam disto: