Ranking da CTA mostra os países mais inovadores

Por ORLANDO BARROZO, enviado especial

Durante a apresentação “State of the Industry”, na CES 2019, a Consumer Electronics Association (CTA) anunciou que 16 países estão liderando o mundo na criação de melhores ambientes para inovações. A referência é a mais recente edição da International Innovation Scorecard (IIS), tabela que avalia cada país em aspectos ligados à inovação tecnológica.

Os campeões da inovação este ano são Austrália, Canadá, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Alemanha, Israel, Luxemburgo, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Singapura, Suécia, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos.

Em seu discurso, a secretária holandesa de assuntos econômicos e política climática, Mona Keijzer; o secretário de comércio internacional do Reino Unido, Dr. Liam Fox; e a ministra de educação e pesquisas da Estônia, Mailis Reps, se juntaram a Gary Shapiro, presidente e CEO da CTA, para receber o prêmio de campeões da inovação pelos seus países.

“Estes países são líderes mundiais em promover inovações”, disse Shapiro. ”Quando se fala em política tecnológica, eles valorizam inovadores disruptivos. Para serem líderes em inovação, as nações devem abandonar suas regras protecionistas e quebrar as barreiras que os limitavam de criar as próximas startups que irão mudar o mundo para melhor”.

A nova lista de campeões da inovação inclui pela primeira vez dois países: Alemanha e Israel. A Alemanha atingiu esse status graças a seus incentivos às novas empresas e ao melhor acesso a telecomunicações e serviços online. Em Israel, mais da metade (51,5%) de sua força de trabalho é empregada em atividades de alta qualificação. E quase metade (46,8%) de seus estudantes de nível college (equivalente no Brasil aos cursos técnicos pré-universitários) se formam nas áreas conhecidas como STEM (Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática, na sigla em inglês) – segunda posição no mundo, atrás apenas de Singapura.

Além disso, 4,3% do PIB em Israel vai para pesquisa e desenvolvimento (R&D), mais que qualquer outro país citado no relatório.

No geral, países campeões em inovação apresentam melhores resultados em parâmetros como Liberdade, Banda Larga, Empreendedorismo, número de veículos autônomos (self-driving vehicles) e Resiliência – esta, uma nova categoria para quantificar o nível de sustentabilidade em um governo e na sociedade.

Enquanto isso, três campeões desceram do ranking de 2019: Áustria, onde a tributação dos indivíduos é de 55%; República Tcheca, com redução de 15% nos investimentos anuais em R&D; e Portugal, com sua decisão de pressionar websites de aluguel como AirBnB a compartilhar seus dados com o governo.

Outras tendências para 2019:

* Pequenos países tendem a investir em R&D. Israel e Coreia do Sul gastam mais de 4% de seu PIB, seguidos por Suíça (3,4%), Suécia (3,3%) e Áustria (3,1%).

* Em cada continente, os países com velocidade média de downloads acima de 18Mbps também alcançam rankins mais altos.

* 8 dos 10 países mais resilientes – ranqueados por critérios como visibilidade de sua cadeia de suprimentos e sua infraestrutura física e digital – são europeus.

Nenhum dos 38 países analisados registraram aumento no item “veículos autônomos” (SDV). Na verdade, criaram incentivos aumentando a quantidade de veículos públicos desse tipo, ou se preparando para construir pistas de teste internacionais. De ano em ano, vemos mais e mais países adotando leis que permitem testes de carros autônomos.

* Estados Unidos e China dominam em “unicórnios”, nome dado a startups avaliadas em pelo menos US$ 1 bilhão.

Nos últimos dez anos, os EUA geraram 133 delas para cada 10 milhões de habitantes, enquanto a China (país com oito vezes a população americana) atingiu a marca de 120 e o Reino Unido teve 12 empresas nessa classificação.

A tabela de desempenho IIS de 2019 incluiu mais 23 países, para um total de 61 mais a União Européia. A tabela analisa e compara os países em 14 categorias diferentes, como média da velocidade da banda larga, adoção de politicas de compartilhamento, estímulo aos veículos autônomos, regulações para drones e capacidade de enfrentar desastres naturais. Para ver mais informações, visite www.internationalscorecard.com.

*Para ver o original na íntegra, clique aqui.

Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram

htbest